no porto para despachar carro por container

DICAS DA ESTRADA

EMBARCANDO O CARRO EM UM CONTAINER NA COLÔMBIA

Um dos momentos mais esperados e mais temidos de quem se aventura em uma volta ao mundo de carro: despachar o carro em um navio por container! Tivemos nossa primeira experiência em Fevereiro de 2020 e aqui vamos compartilhar nosso relato e dicas para quem planeja fazer o mesmo.

Foto: Leo e Ale e nossa casa guardada dentro do container em Cartagena das Índias, Colômbia

 

POR QUE É PRECISO DESPACHAR O CARRO EM UM NAVIO POR CONTAINER?

No mapa a Colômbia e o Panamá estão conectados por terra, mas na vida real, essa conexão não possui estradas! A área em que esses países fazem fronteira é tomada por uma floresta, conhecida como Darien Gap. Quando a rodovia Panamericana, que liga a Argentina até o Alaska, começou a ser construída por volta de 1.930, houve um debate sobre conectar a Colômbia e o Panamá por fronteiras terrestres, mas o projeto nunca saiu do papel.

Na prática, se você viaja de carro e quer cruzar todo o continente americano por terra, vai precisar colocar no seu radar o despacho do carro por navio. As rotas mais comuns são enviar da Colômbia para o Panamá, e seguir viagem sem pular nenhum país, ou da Colômbia direto para o México, pulando a América Central, que é uma região que assusta muitos viajantes pela fama de violência e instabilidade política.

Nosso plano desde o início foi enviar da Colômbia para o Panamá. Há alguns anos houve um serviço de ferry entre os dois países, mas que atuou por pouco tempo. Atualmente a única opção viável é embarcar o veículo em um navio, dentro de um container (se você quiser a garantia de que seu veículo irá fazer esse cruze lacrado), ou no pátio do navio, deixando as chaves para a empresa manobrar e retirar seu carro no destino final. Nós optamos por usar um container, e contamos abaixo como foi nossa experiência em despachar o carro.

 

PREPARATIVOS

Cerca de um mês antes da data em que gostaríamos de realizar a travessia da Colômbia para o Panamá começamos a fazer contatos e buscar um parceiro de container. Fizemos um cadastro no site ContainerBuddies e em poucos dias começamos a trocar mensagens com um casal da Espanha, que planejava a mesma rota que nós. As datas de intenção batiam, mas eles nos avisaram que tinham intenção de fazer todos os trâmites de forma independente, ou seja, sem o apoio de uma despachante. Como era nossa primeira vez e estávamos bastante apreensivos sobre como seria o processo dentro do porto nós preferíamos não arriscar e pagar um pouco mais para ter a tranquilidade de um despachante nos apoiando. Acabamos dispensando nossos amigos espanhóis.

Por coincidência do destino, alguns dias depois paramos em um camping na cidade de Otavalo e em seguida chegou uma van com uma família de franceses. Fomos nos apresentar, conversamos por alguns minutos e pronto: descobrimos que eles também estavam em busca de um parceiro para dividir um container da Colômbia até o Panamá. Trocamos nossos contatos e partir dali começamos a buscar orçamentos com alguns despachantes para escolher a melhor opção para ambos os lados.

 

PARA QUE SERVE UM DESPACHANTE?

O processo de envio de um veículo para o exterior consiste em uma exportação. Cada país possui seus trâmites, documentações, taxas e normas a serem cumpridas para que essa exportação seja feita da maneira correta. O despachante é a pessoa que vai facilitar todo esse processo para você, porque ele já conhece os requisitos. Você vai poupar seu tempo e vai concentrar o pagamento e o envio de documentação para uma pessoa: seu despachante. Ele vai te representar perante os órgãos envolvidos e te guiar ao longo do processo, inclusive no dia em que você irá dirigir o seu carro até o porto para colocá-lo dentro de um container.

Nós enviamos solicitações de orçamentos para 2 opções na cidade de Cartagena na Colômbia, mas recebemos boas referências de amigos que tinham recentemente contratado os serviços da Ana, e fechamos com ela de consciência tranquila.

 

ASSINANDO A DOCUMENTAÇÃO

Contratamos os serviços da Ana pelo Whatsapp e por lá ela já criou um grupo com a gente e nosso amigo francês, que iria dividir o container. Nos enviou uma lista de documentos que precisávamos apresentar com cópias e marcamos uma reunião no escritório dela para levar toda a documentação, fazer o pagamento dos serviços dela + o container e agendar o dia da apresentação no porto.

A documentação foi:

  • Documento original do carro + cópia
  • Passaporte do proprietário + cópia
  • Cópia da estampa de entrada do passaporte na Colômbia
  • Documento de importação temporária da Colômbia + cópia
  • Seguro obrigatório do carro (SOAT) + cópia

Os custos envolvidos no despacho de um veículo por container são divididos em 2 etapas: a primeira, paga no porto em que você está embarcando o seu carro e a segunda, no porto em que você irá retirar seu veículo.

O valor que pagamos na Colômbia, cidade de Cartagena em que embarcamos foi de USD 1.284,00. Esse valor já inclui os serviços do despachante + custo do container + impostos e todas as taxas envolvidas no processo, do lado da Colômbia.

Foto: Assinando os documentos com a nossa despachante querida, Ana Rodriguez

 

PROCESSO NO PORTO DE CARTAGENA

A primeira data que tínhamos agendado para embarcar nosso carro no container foi 02 de Fevereiro de 2020. Chegando perto desse dia a Ana, nossa despachante entrou em contato e nos avisou que o navio que levaria nosso container da Colômbia ao Panamá estava atrasado por mau tempo no oceano. A data foi reprogramada para dia 08. Esperávamos ansiosamente para ir até o porto quando mais uma vez o navio atrasou. Tivemos que remarcar e a nova data foi para o dia 14 de Fevereiro, dia do aniversário da Ale!

Depois de 2 semanas de espera, finalmente chegou o grande dia! Às 8h da manhã estávamos em frente ao porto de Cartagena. Lá na frente nossa despachante nos encontrou e nos forneceu os equipamentos necessários para entrar no porto: capacetes, coletes refletivos e botas de segurança, além da documentação toda organizada e assinada que deveria ser apresentada na entrada do porto. Não é permitido 2 pessoas entrarem no porto dentro do carro, então nesse momento nós nos separamos. Leo entrou dirigindo e levando a documentação necessária, e Ale entrou pela entrada de pedestres junto com o assistente da despachante, que também levava mais cópias e outros documentos de backup.

 

1. Revisão de entrada

Logo na entrada do porto alguns fiscais conferem a documentação, placa do veículo e fazem uma revisão rápida do carro. Leo teve que abrir as portas e nossa caixa do teto.

 

2. Pesagem do veículo

Após a primeira revisão seguimos para a fila de pesagem de veículos. Pela primeira vez tivemos a certeza de quanto nossa casa pesava: 2.890 kgs. Considerando que nossos tanques de água e diesel estavam quase vazios, nossa casa 100% carregada passa de 3 toneladas!

 

3. Inspeção da Aduana

Essa é uma inspeção rápida em que o fiscal confere a documentação de exportação, o número do chassi e número gravado no motor do carro. Ele assina alguns papéis e o proprietário do carro também. O resto ficou por conta da nossa despachante!

 

4. Inspeção da Polícia

É para ser uma inspeção rápida também, mas no nosso caso ficamos horas esperando a polícia chegar. Nos disseram que havia fila no porto e por conta disso a espera demorou mais do que o previsto. Para passar por essa inspeção é preciso tirar TUDO de dentro do carro. É uma inspeção antidrogas em que eles usam cães para farejar seus pertences e dentro dos armários do carro. Depois que a polícia chegou foi rápido, cerca de 30 min já estávamos liberados para guardar tudo no carro novamente.

 

Foto: Esperando a polícia chegar depois de tirar tudo dos carros, com nosso amigo Olivier

 

5. Inspeção do Container

Antes de colocar o carro dentro do container é preciso ter a liberação da polícia. Eles precisam verificar se ele está realmente vazio para então autorizar a manobra do veículo.

 

6. Guardar o carro no container

Finalmente hora de guardar o veículo dentro do container. Nosso carro foi o primeiro a entrar e o Leo manobrou ele até lá dentro. O pessoal da SEABOARD, empresa responsável pelo transporte marítimo do container, fixou ele para que a movimentação do oceano não cause nenhum problema. Na sequência entrou a van VW do nosso amigo francês. Depois de fixar ela, estávamos prontos para fechar o container.

Foto: Equipe SEABOARD se preparando para fixar nosso carro dentro do container

 

7. Lacrar o container e registrar o número do lacre

Antes do container ser lacrado, novamente é necessário a inspeção da polícia. Eles conferem se a descrição da documentação de exportação bate com o que está efetivamente dentro do container e então coloca o lacre.

Foto: Polícia lacrando o container

 

8. Retirar documentação assinada com a empresa de transporte marítimo

Enfim, última etapa! Antes de sair passamos no escritório da SEABOARD dentro do porto mesmo, para retirar o documento assinado que afirma que nosso carro saiu oficialmente da Colômbia com direção ao Panamá. Esse documento foi essencial para apresentarmos na saída do país.

Chegava ao fim nossa história pelas estradas da América do Sul! Um capítulo lindo e emocionante de nossas vidas. Em alguns dias estaríamos começando uma nova fase nesse projeto: América Central, aí vamos nós!

 

 

Contatos da Ana Rodriguez, despachante que recomendamos muito!

+57 (301) 414-6464

[email protected]

Deixe um comentário

Se você gosta do MUNDI360, confira abaixo como apoiar o nosso trabalho e seguir incentivando a produção de conteúdo:

♥ Airbnb

Você já experimentou alugar uma casa ou apartamento pelo Airbnb? Viver alguma experiência com algum local? Usando o nosso link você ganha até R$ 179,00 na sua primeira reserva e nos ajuda com uma comissão! Clique aqui.

⭑ Loja Mundi360

Quer planejar uma viagem e não sabe como? Tem vontade de dar uma volta ao mundo? Quer dicas sobre a América do Sul? Quer se inspirar? Conheça nossa loja, nosso livro e produtos digitais.

Boas viagens!

Ale e Leo | @mundi360