Preparativos

detalhes que fazem a diferença

Pensar em todos os preparativos para uma viagem deste porte não é fácil! São muitos detalhes, muitas coisas que devem ser analisadas e realizadas antes da data de partida.

Abaixo compartilhamos mais alguns temas que fizeram parte do nosso planejamento.

Saúde

Em novembro de 2018, por volta de 6 meses antes da viagem, começamos a nos organizar para fazer exames de check-up, levantar a necessidade de vacinas e buscar um seguro-viagem que nos ampare ao longo dos 4 anos na estrada.

A vacina contra a Febre Amarela se tornou bastante conhecida pelo recente surto no Brasil e a exigência que vários países têm feito a viajantes brasileiros, assim como sua comprovação através do Certificado Internacional de Vacinação, emitido pela ANVISA.

O que vale ressaltar é que a obrigatoriedade desta vacina para visitar alguns países visa proteger os cidadãos do país de destino, evitando a entrada da doença no país.

Para que o viajante se proteja dos riscos existentes nos locais por onde vai passar é preciso buscar informações prévias e se vacinar por iniciativa própria.

No site do Itamaraty é possível encontrar um conteúdo interessante sobre saúde do viajante. Eles afirmam que “vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem”.

Decidimos nos consultar com uma infectologista para garantir que nenhum cuidado estava passando batido por nós. Tivemos a sorte de encontrar uma médica especializada em medicina do viajante, e todas as informações que recebemos foram valiosas!

A Dra. Káris Rodrigues, que nos recebeu, é médica e professora, atende no Rio de Janeiro através do CIVES – Centro de informações em Saúde para viajantes da UFRJ. Tivemos duas consultas com ela para cobrir todo nosso roteiro, e foram totalmente gratuitas! Se engana quem pensa que vacinas devem ser o único cuidado quando se trata de viagens.

Nas consultas falamos sobre higienização dos nossos alimentos, tratamento da nossa água no motorhome, altitude quando estivermos de carro, altitude quando estivermos fazendo trekking, diarréia, doenças infecciosas, tratamento com antibióticos na estrada, remédios para levar, malária, vacinas para tomar antes da data de partida e vacinas que teríamos que tomar na estrada.

Saímos de lá com a certeza de estarmos bem amparados para longa jornada pela frente. Tomamos diversas vacinas ainda no Brasil e trouxemos receitas em inglês que a Dra. nos deu para tomar algumas outras pelo caminho.

Leia mais sobre nossa consulta com ela no blog post aqui.

Algumas das vacinas que tomamos no Brasil, antes da partida:

  • Infecções meningocócicas, que protege contra a meningite e variações;
  • Raiva pré-exposição, doença infecciosa com alta taxa de mortalidade;
  • Encefalite Japonesa, doença transmitida pela picada de mosquitos do gênero Culex;
  • Hepatite A, doença infecciosa causada por vírus;
  • Febre tifóide, doença bacteriana aguda;
  • Reforço Poliomielite, doença infecciosa causada por vírus.

Documentação para o Carro

A regra geral para ingresso em um país estrangeiro de carro é a seguinte: documento original do carro + passaporte do proprietário do veículo + carteira de motorista (original em alguns casos ou a internacional em outros) + seguro obrigatório local.

Toda vez que cruzamos uma fronteira fazemos primeiro a migração de pessoas, e em seguida a do carro, que sempre é feita pela Aduana de cada país. 

Na Aduana o proprietário do veículo faz um cadastro e retira um documento de importação temporária, que contém o tempo permitido para o veículo circular dentro do país e as informações do documento original. 

O documento sempre deve ser apresentado nas paradas policiais, juntamente com o documento do veículo, a carteira de motorista e o seguro obrigatório.

Alguns países não exigem seguro obrigatório, e os que exigem, normalmente é possível comprar na própria fronteira ou na primeira cidade depois de entrar em um novo país.

Carteira de Motorista Internacional

Também conhecida como PID (Permissão Internacional para Dirigir), esse documento é basicamente a CNH traduzida em várias línguas.

Na prática, a maioria dos países aceita a própria CNH brasileira sem problemas, mas não custa se precaver e ter sempre este documento em mãos.

A data de validade do PID é a mesma da sua CNH, assim como sua categoria e restrições. Para emitir este documento entre no site do Detran, emita o boleto e faça sua solicitação online!

Carnet de Passages en Douane

Para alguns países da África, Ásia e Oceania, um documento adicional para o carro é exigido. Trata-se do Carnet de Passages en Douane, um documento de importação temporária de veículo motorizado.

Pesquisamos bastante para poder entender como esse Carnet funciona e qual é a sua finalidade, e chegamos a conclusão de que ele é uma garantia de pagamento antecipado de taxas e impostos para os países que o exigem, no caso de o veículo que entrou não sair.

Na prática ele funciona como um “passaporte” do carro, que possui a validade curtíssima de 1 ano. Por conta disso, iremos emitir o nosso quando estivermos mais perto de entrarmos na Ásia, onde estarão os primeiros países que exigem esta documentação, em nosso itinerário. Mas, não para por aí. As duas questões que mais preocupam são custo e emissão do Carnet. Não é possível emitir no Brasil.

Através de pesquisas ficamos sabendo que alguns brasileiros conseguiram emitir na Europa, e devemos tentar a emissão do nosso também por lá.

Mas não é nada simples, pois muitos países se recusam a emitir o documento para estrangeiros.

Além disso, o custo desse documento tem como base o valor do veículo e o risco dos países que o carro irá transitar, o que deixa a conta bastante salgada. Por hora não vamos nos preocupar com isso, seguimos viagem e quando chegar o momento da emissão, atualizaremos aqui com as novidades.

Vistos e Permissões de entrada

Considerando a lista de 80 países que planejamos visitar ao longo da nossa volta ao mundo, será necessário tirar visto para aproximadamente 25 deles.

A maioria dos vistos iremos aplicar na estrada, ao longo da viagem. Os que mais precisam de atenção são os vistos que devem ser aplicados via embaixada, pois teremos que nos planejar para aplicar para o visto com um tempo mínimo de antecedência, pois costumam demorar mais.

Sabemos que nossa rota poderá ser afetada por diversos motivos e alguns países podem sair e outros entrar. De qualquer forma, compartilhamos aqui quais países estão mapeados para o processo de visto (Lista elaborada em 2018, sujeita a modificações).

País Visto de Turismo Observação
Austrália Visto Exigido Processo via Internet
Azerbaijão Visto Exigido Processo via Internet
Bangladesh Visto Exigido Visto via Embaixada
Camboja Visto Exigido e-Visa pela internet
Canadá Visto Exigido Visto via embaixada
para entrada via terrestre
Egito Visto Exigido Visto via embaixada
USA Visto Exigido Visto via embaixada
Etiópia Visto Exigido e-Visa pela internet
Índia Visto Exigido e-Visa pela internet
Irã Visto Exigido Via agência de turismo
reconhecida pelo governo
Jordânia Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Laos Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Malaui Visto Exigido Visto via embaixada
Moldova Visto Exigido e-Visa pela internet
Myanmar Visto Exigido e-Visa pela internet
Nepal Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Paquistão Visto Exigido Visto via embaixada
Quênia Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Sudão Visto Exigido Visto via embaixada
Tadjiquistão Visto Exigido Visto via embaixada
Tanzânia Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Turcomenistão Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival
Uzbequistão Visto Exigido Pré-visto pela internet - Visa on arrival
Vietinã Visto Exigido Internet ou agências antes da fronteira
Zâmbia Visto Exigido Na fronteira - Visa on arrival